Melhores pacientes, melhor medicina dentária

Imagem da notícia: Melhores pacientes, melhor medicina dentária

Comprometido com a área de Cirurgia Oral, em especial a Implantologia, o médico dentista Eugénio Pereira defende que a articulação entre a clínica e o laboratório é de “importância fulcral”. “Os canais de comunicação entre ambas as entidades têm que ser fluidos e eficazes, conduzindo ao reforço da qualidade dos trabalhos finais e minimizando o tempo de espera do paciente, que são factores determinantes para a sua satisfação total”, frisa.

Os dois protagonistas desempenham papéis vitais para o bom desempenho do trabalho final, que concretiza os requisitos de ordem funcional e estética. A parceria estabelecida entre Eugénio Pereira e o laboratório de próteses dentárias Oficina dos Sorrisos dá resposta a estas solicitações e impõe ao mercado padrões de elevada eficiência.

 

Aposta na formação contínua

Eugénio Pereira iniciou a sua carreira profissional em 1997, logo após a conclusão do curso em Medicina Dentária no Instituto Superior de Ciências da Saúde – Sul. Com estágios no Hospital Professor Egas Moniz e no IPO, em Lisboa, o médico dentista desenvolve clínica privada também na capital.

Em 2008 empreendeu um novo desafio na área da formação, e exerceu o cargo de professor convidado no Curso Internacional de Implantes e Enxertos Ósseos na Faculdade de São Leopoldo Mandic, em Campinas no Brasil, sob a coordenação do Professor Dr. Alexander D’Alvia Salvoni, assumindo ainda a organização deste curso no nosso país. Em defesa de uma “aposta sistemática na formação contínua”, o clínico junta ainda o doutoramento na área de enxertos ósseos na Universidade de Coimbra, iniciado recentemente, ao seu já extenso currículo.

Eugénio Pereira acredita que “o vasto reconhecimento” que a medicina dentária adquiriu na última década contribui, nos dias de hoje, para “um consumidor final mais informado e exigente”. Projectando-se no futuro, o médico dentista ambiciona um caminho rumo a “um aperfeiçoamento permanente das especialidades existentes e o desenvolvimento de sinergias multidisciplinares”.

 

15 Fevereiro, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas