Prática com paixão

Imagem da notícia: Prática com paixão

Dárcio Luís Fonseca não esconde a sua paixão pela implantologia. É esta dedicação que justifica a prática exclusiva na área, juntamente com a reabilitação oral.

O responsável elege os seus mestres, “Marius Steigmann, Maurice Salama e Carl Misch”, e enumera as prioridades de um bom profissional: “A reabilitação oral está muito para além dos implantes ou da prótese fixa, agregando múltiplas valências. Há que olhar para a floresta envolvente e só depois para a árvore, se bem que noto que cada vez mais pessoas atentam só na árvore e acabam por não ver a floresta”.

Aposta na componente prática

A multiplicidade de factores que concorrem para o sucesso da cirurgia oral exige um conhecimento apurado de cada uma das etapas do processo de intervenção. Por essa razão, o especialista Dárcio Luís Fonseca apresenta formações com uma estrutura sustentada.

“O curso de implantologia e prótese sobre implantes tem uma componente prática muito forte, ao cabo de sete dias cada aluno coloca entre oito a dez implantes, perfazendo uma carga horária de 60 horas. A parte teórica ocupa dois dias e os cinco seguintes são de índole exclusivamente cirúrgica. Para finalizar, temos prótese sobre implantes”, explica o responsável. “Para dar um exemplo, nesta última edição reabilitámos mais de 50 coroas sobre implantes em apenas dois dias.”

Dárcio Luís Fonseca defende a necessidade de formação prática e neste capítulo afirma mesmo que “é difícil que haja um curso com uma carga prática tão forte em tão poucos dias”.

Encarado como um ponto de partida muito prático na implantologia, o curso de implantologia ministrado na Belearning permite que “as pessoas não se enganem”, aponta o clínico. “Com esta formação percebe-se quem gosta ou não desta área cirúrgica”, avança. “Se gostarem têm a porta aberta para iniciar este percurso difícil e exigente, senão ficam com noções claras acerca da parte cirúrgica e da consequente reabilitação protética”, esclarece.

Atentando no ‘hands-o’ de prótese fixa, o Belearning esboça um plano à medida do tratamento integral. “Aqui o aluno realiza uma quantidade enorme de procedimentos clínicos, desde o início dos tratamentos, o planeamento, os talhes, as impressões, as adaptações de provisórios, a remodelaçao gengival, as provas de cor, as provas de estrutura, tudo até a um trabalho final que obedeça a critérios estéticos, funcionais e de resposta imediata exigida pelo paciente”, expõe.


Leia esta reportagem, na íntegra, na DentalPro nº 24

26 Abril, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas