Odontofobia: Era uma vez o medo

Imagem da notícia: Odontofobia: Era uma vez o medo

A primeira consulta no dentista suscita, por si só, o medo. De acordo com um estudo publicado na Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial, da autoria de Mariana Andias Ferreira, M. Conceição Manso e Sandra Gavinha, “a ansiedade que as intervenções dentárias despertam na população afecta 52,7 por cento dos portugueses, sendo que 28,7 por cento definem-se como “muito ansiosos” e 24 por cento como “ansiosos”.

De modo a controlar estas perturbações de ansiedade adoptam-se hoje métodos inovadores. A sedação consciente com óxido nitroso e oxigénio perfila-se como uma das soluções, mas a boa relação entre médico e paciente é apontada como a chave do sucesso.

A odontopediatra Teresa Urbano refere que uma primeira boa experiência no dentista “adivinha-se fulcral no convívio com o ambiente de consultório”. Os avanços na área levam as crianças a lidarem bem com os clínicos. “Hoje quem tem medo são os pais”, lança a especialista.

Para Eunice Carrilho, a prioridade no trabalho com os mais novos passa por familiarizá-los com os instrumentos. “Nunca falei a uma criança em broca, mas em chuveiro, e o aspirador é uma girafa que bebe a saliva”, assinala.

A desmistificação da utilidade das peças de mão e dos próprios procedimentos intra-orais afigura-se como essencial para a compreensão. A informação revela-se o primeiro escudo anti medo.

Estudos recentes conferem aos aquários propriedades ansiolíticas, já que ajudam a diminuir a ansiedade e tensão. Este factor explica a presença destes objectos em salas de espera de consultórios e clínicas dentárias. A sua contemplação reverte-se no alívio do ‘stress’ e em menos medicação para combater a dor.

A última tendência nos EUA passa pelos SPA’s dentários. A prática torna-se comum e, actualmente, os pacientes podem receber tratamentos enquanto relaxam numa cadeira de massagens ou ao som de música clássica. O conceito integra assim a noção de bem-estar que caracteriza estes espaços para a prática clínica, criando um ambiente mais convidativo. Exemplos desta nova atitude são o The Hills Dental SPA, em Austin no Texas, com esfoliações aos pés à base de menta, ao mesmo tempo que se processa uma obturação dentária. No Mitchell Dental SPA em Chicago, os tratamentos faciais e as massagens constituem uma opção recorrente.

 

8 Setembro, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas