PAGED: Gerir para reinar

O quadro já não é negro e aqui os alunos já não usam bata. Essa ficou no consultório. Os 32 médicos dentistas a frequentar o Programa Avançado de Gestão para Médicos Dentistas (PAGED), da Universidade Católica Portuguesa (UCP), auscultam conceitos como capital próprio, passivos e activos. Palavras do dia-a-dia, que agora importa aplicar à rotina da clínica.Dão-se exemplos, colocam-se dúvidas e há ainda tempo para exercícios, com olhares copiosos para o parceiro do lado.

A turma do primeiro ano na aula de Contabilidade e Análise Financeira

A aula é de Contabilidade e Análise Financeira e os alunos são os primeiros a assumir que, ao quarto módulo, já se retiram frutos da formação e já se faz uma gestão mais atenta do próprio negócio.

Francisco Velez Roxo define este novo paradigma como “intelligent dentist”. O coordenador dos programas na área da Saúde da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da UCP, juntamente com Henrique Martins, garante que “quanto mais aguçado estiver o espírito destes clínicos relativamente ao negócio, melhor o dentista se relaciona com clientes e fornecedores”.

Mais liderança, melhor gestão

Alargar as responsabilidades dos médicos dentistas na gestão das suas clínicas ou naquelas em que trabalham constitui o mote desta formação pioneira, que une a UCP e a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD).

O PAGED contempla desde as áreas clássicas da gestão, como a contabilidade, o ‘marketing’ ou os recursos humanos, até às áreas mais específicas, como as questões ético-jurídicas e de finanças pessoais, mais adaptadas a uma profissão com forte cariz liberal, assim como estratégia e empreendedorismo, através da partilha de casos.

Para além da formação em sala, o PAGED promove uma auto-consultoria do médico dentista à sua clínica ou empregador. “Mais do que conhecimentos, avaliamos competências”, pressagia Henrique Martins.

Henrique Martins e Francisco Velez Roxo

Novas edições no Porto e em Lisboa

A ocupar a ampla sala de aula, mulheres e homens que rondam os 35 anos, com um objectivo partilhado. “Optimizar clínicas e recursos”. Henrique Martins resume o caminho. “Há que atender às dimensões humana, organizativa, financeira e de recursos humanos e comercial, assim como a uma nova vertente, que se designa evolução.

É uma competência nova nas empresas e este grupo de pessoas desta primeira edição do curso encontra-se amplamente motivado para a evolução”. E a vontade de evoluir levou a que a edição inaugural do PAGED ultrapassasse, em larga margem, as expectativas iniciais.

Por isso, a gestão para médicos dentistas chega ao Porto em Outubro e já tem agendada segunda edição na capital em Fevereiro. “Não me espantaria se este curso passasse a servir de complemento à licenciatura”, confessa Henrique Martins. Para já, o desafio instalado é o da continuidade.

Para rematar, Velez Roxo desenha o perfil do novo médico dentista em elaboração no âmbito do PAGED. “Que seja rigorosona boca, como no bolso”.

 

10 Setembro, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas