O fim da cárie está à vista

Os professores Bauke Dijkstra e Lubbert Dijkhuizen, da Universidade de Groningen, decifraram a estrutura e o mecanismo funcional da enzima glucansucrase, que é responsável pela aderência da placa bacteriana aos dentes. Desta forma, os estudiosos acreditam que se podem identificar substâncias para inibir a produção da enzima e consequentemente acabar com as cáries. Os resultados foram publicados no Proceedings of the National Academy os Sciences.

 

Os investigadores da instituição holandesa analisaram a enzima glucansucrasea partir da bactéria do ácido láctico Lactobacillus Reuteri, presente na boca humana e no trato digestivo. Basicamente, esta bactéria usa a enzima para converter o açúcar dos alimentos em cadeias longas e viscosas de glucose. A substância obtida adere aos dentes de forma voraz, provocando a sua deterioração progressiva, visto que os açucares fermentam, libertam ácidos e dissolvem o cálcio dentinário. Também a bactéria que causa maiores níveis de prejuízo dentário, a Streptococcus mutans, usa a glucansucrasea para aderir aos esmalte dos dentes.

Bauke Dijkstra e Lubbert Dijkhuizen apontam agora a adição de inibidores desta enzima aos elixires bucais e pastas dos dentes como o futuro. “Poderá ainda ser possível juntá-los aos alimentos doces, prevenindo os estragos naturais da libertação de açucares na boca”, acrescenta Dijkhuizen. Mesmo assim, os docentes de Groningen não vaticinam o fim das escovas dentárias, “porque será sempre necessário lavar os dentes”, concluem.

21 Dezembro, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas

Novembro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de novembro de 2020, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 2 Dezembro, 2020
Atualidade

Grande Prémio Ciência Viva distingue Alexandre Quintanilha

Alexandre Quintanilha foi distinguido com o Grande Prémio Ciência Viva, pela sua ação notável na promoção da cultura científica. Destaque ainda para o Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, galardoado com o Prémio Ciência Viva Educação, e para a campanha de educação “2 Minutos para Mudar de Vida, que recebeu o Prémio Ciência Viva Media.

Ler mais 24 Novembro, 2020
Atualidade

Elixir bucal pode eliminar o coronavírus?

A pesquisa – liderada pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido – afirma que os elixires bucais que contenham 0,07% de cloreto de cetilpiridínio (CPC) estão a mostrar “sinais promissores” na redução do vírus.

Ler mais 20 Novembro, 2020
Atualidade