SPEMD vai premiar trabalho de investigação

A Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD), com o apoio da Colgate, promove este ano a segunda edição do Prémio de Investigação SPEMD, criado com o objectivo de distinguir o mérito e desenvolver o interesse pela investigação científica em saúde oral.

 

O autor do melhor trabalho será distinguido com um prémio monetário no valor de €3.000,00, a entregar durante o Congresso da SPEMD, e terá publicação na Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial.

 

Esta iniciativa é aberta a todos os estudantes que frequentem o quinto ano do mestrado integrado em Medicina Dentária em 2010/2011 e aos médicos dentistas com mestrado concluído em 2009/2010, desde que estejam inscritos como sócios da SPEMD.

 

Os trabalhos podem ser dedicados a qualquer tema de Medicina Dentária, desde que originais e de publicação inédita, nem submetidos para publicação em revistas científicas, até dia 5 de Agosto de 2011.

 

A avaliação será feita por um júri presidido pelo presidente da SPEMD, o Professor Doutor Jaime Portugal, que integra ainda elementos do Corpo de Árbitros da Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial. Esta equipa julgará os trabalhos a concurso conforme critérios de mérito científico, originalidade, interesse e apresentação.

 

Para qualquer esclarecimento, contacte: premio_spemd@netcabo.pt

 

Regulamento disponível em: www.spemd.pt

 

17 Agosto, 2011
Atualidade

Notícias relacionadas

Grande Prémio Ciência Viva distingue Alexandre Quintanilha

Alexandre Quintanilha foi distinguido com o Grande Prémio Ciência Viva, pela sua ação notável na promoção da cultura científica. Destaque ainda para o Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, galardoado com o Prémio Ciência Viva Educação, e para a campanha de educação “2 Minutos para Mudar de Vida, que recebeu o Prémio Ciência Viva Media.

Ler mais 24 Novembro, 2020
Atualidade

Elixir bucal pode eliminar o coronavírus?

A pesquisa – liderada pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido – afirma que os elixires bucais que contenham 0,07% de cloreto de cetilpiridínio (CPC) estão a mostrar “sinais promissores” na redução do vírus.

Ler mais 20 Novembro, 2020
Atualidade