A escova de dentes adapta-se às fases da vida

Imagem da notícia: A escova de dentes adapta-se às fases da vida

Tamanho e formato dos maxilares e dos dentes. É este o critério da atribuição do tipo de escova de dentes para cada idade, utilizado pelo dentista e professor da Uniban Anhanguera, Hugo Lewgoy.

Dos três meses a um ano de idade – ‘Escova Mordedor’
Deve ser usada a partir do momento em que os bébés já tiverem coordenação motora suficiente para segurar em objectos. A ‘escova mordedor’ deve estimular os sentidos com múltiplas funções (como é o caso da percepção tátil, auditiva e visual), facilitar a erupção dental e servir de ‘calmante’ para os bébés.

Da erupção dos dentes aos seis anos de idade – ‘Escova Infantil’
Esta escova deve ter uma cabeça pequena e anatómica, cerdas arredondadas, polidas e muito macias, um cabo com textura macia e que se adapte facilmente às mãos da criança. Segundo Lewgoy, é preciso incentivar as crianças á escovagem de dentes desde cedo e deixar, com o passar do tempo, que estas o façam sozinhas.

Dos sete aos 14 anos de idade – ‘Escova Juvenil’
A cabeça da escova deve ser igualmente pequena mas com um formato mais oval, como forma de protecção às gengivas e bochechas no processo de escovação. Nesta fase, Hugo Lewgoy indica “as cerdas supermacias ou extramacias”.

A partir dos 15 anos de idade – ‘Escova Adulto’
A ‘escova adulto’ pode ter dois tamanhos de cabeça: uma escova com tamanho de cabeça pequena e outra com cabeça super pequena.

As cerdas devem ser ultramacias para não magoar as gengivas, o cabo deve ser flexível e obedecer a um design sextavado para que, no acto de escovação, a escova possa ficar inclinada num ângulo de 45 graus – metade das cerdas apoiada sobre a coroa dental e a outra metade sobre a margem gengival.

11 Dezembro, 2012
Atualidade

Notícias relacionadas