OMD distingue Carlos César

Imagem da notícia: OMD distingue Carlos César

Carlos César recebeu a medalha de ouro da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), que premeia a contribuição “relevante e inequívoca para o desenvolvimento da Medicina Dentária”.

Esta é a mais alta condecoração da OMD, que exalta a participação relevante de um cidadão na área da saúde bucal, independentemente da profissão, grau de academismo e afiliação política.

“O ex-presidente do Governo Regional dos Açores é um exemplo notável em Portugal em termos de Medicina Dentária, já que fez da saúde oral uma prioridade, suprimindo uma grave lacuna do Serviço Nacional de Saúde na sua região”, considerou Orlando Monteiro da Silva, bastonário da OMD, em comunicado.

Na delegação da OMD em Lisboa, onde decorreu a cerimónia, a 30 de junho, estiveram presentes figuras de culto como Jorge Sampaio, antigo Presidente da República, Manuel Pizarro, vereador da Câmara Municipal do Porto, e, ainda, Maria Antónia Almeida Santos, presidente da Comissão Parlamentar da Saúde. A atribuição da medalha foi decidida por unanimidade no Conselho Diretivo da Ordem.

Carlos César foi responsável por estar garantido o acesso à Medicina Dentária em todas as ilhas dos Açores, algo que não se verificava desde 1996, como também foi o impulsionador de um incremento de postos de trabalho na região.

Quando iniciou o mandato, existiam apenas três profissionais dentários para as nove ilhas. Hoje verifica-se que, em todos os centros de saúde do arquipélago (à exceção das ilhas do Faial e Corvo, servidas por um médico dentista da ilha das Flores que se desloca a estas áreas, quando necessário), há sempre médicos dentistas a exercer as suas funções.

Ainda, 15 dos 16 centros de saúde nos Açores estão equipados com material de consultas de Medicina Dentária. Por outro lado, o setor privado beneficia de um sistema de reembolsos das consultas.

Foi também com o Programa Regional de Saúde Oral, de Carlos César, que se incrementou a prevenção e divulgação da Medicina Dentária junto da saúde escolar, com a criação do BISO – Boletim Individual de Saúde Oral, que ainda hoje é utilizado no arquipélago.

4 Julho, 2014
Atualidade

Notícias relacionadas