“Que qualidade terá a medicina dentária nos centros de saúde?”

Imagem da notícia: “Que qualidade terá a medicina dentária nos centros de saúde?”

Gonçalo MIranda, administrador do Fórum Nacional pela Medicina Dentária, no Facebook, falou-nos sobre este e outros assuntos na edição de outubro.

DentalPro: Um dos assuntos muito discutidos no Fórum Nacional pela Medicina Dentária é o excesso de profissionais. A Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) quer fechar as entradas nas faculdades para reduzir este número. Não é já uma vitória?

Gonçalo MIranda: O que me entristece profundamente é o facto de ser preciso deixar a coisas chegarem a um ponto de não retorno para se começar a pensar em agir. Infelizmente é assim. Esta questão do excesso de médicos dentistas já é antiga, ainda eu estava na faculdade (1994/1995) quando se começou a falar dela. Já muita gente andava a prever isto. E as pessoas responsáveis nunca fizeram nada. Falta de visão? Não creio. Apenas falta de vontade. Deixaram andar até chegarmos à situação de hoje: desemprego e emigração. Nós formamos e os outros é que vão usufruir do nosso know-how. Dói bastante ver recém-licenciados a terem que emigrar. Felizmente, os que saem do país distinguem-se lá fora. São bravos. E isso está relacionado com a qualidade da nossa formação, que é de nível mundial.

DP: A inclusão dos dentistas no Serviço Nacional de Saúde – também apoiada pela OMD – poderia ajudar a diminuir esse desemprego? Ou é também uma medida tardia?

GM: Essa é uma questão polémica. Para começar, é uma medida tardia, sim. Já deveria ter acontecido. No entanto, penso que a colocação de dentistas no centros de saúde não vá ter grande repercussão na diminuição do desemprego na nossa área. Mas aqui há uma questão mais grave. Quem coloca os médicos? Quem controla os concursos? Onde existe uma ínfima hipótese de haver lucros, surgem interesses. Tenho a certeza que irão aparecer por aí empresas que vão lucrar com isso, até na exploração dos próprios médicos. Uma boa solução seria, na minha opinião, a inclusão da medicina dentária nos hospitais. Mas isso já são outros “quinhentos”. Há uma grande barreira para isso poder acontecer. A aceitação dos médicos dentistas na parte hospitalar sempre foi uma luta entre as duas Ordens, Ordem dos Médicos e OMD… somos considerados o parente pobre da medicina. Mas, ao nível dos centros de saúde, coloco uma questão. Que qualidade terá a medicina dentária nos centros de saúde? Se, mesmo a nível hospitalar, há falta de material para outras especialidades, por falta de verbas, como será nos centros de saúde? Que tipo de materiais terão para servir a população com qualidade? E quem irá fornecer esses centros de saúde? De onde virão esses materiais? Empresas de material dentário já existentes ou novas empresas que oportunamente vão surgir?

Entrevista completa na DentalPro 105.

26 Outubro, 2016
Entrevistas

 
imagem
Quer receber a nossa newsletter?
Newsletter semanal com novidades e notícias da medicina dentária. Dirigido especialmente a profissionais do setor.

Vamos guardar os seus dados só enquanto quiser. Ficarão em segurança e a qualquer momento pode editá-los ou deixar de receber as nossas mensagens.

 

Notice: Undefined variable: cats in /home/dentalpro/public_html/wp-content/themes/revista-codigopro-2017-v5/single.php on line 71

Notícias relacionadas

Montellano celebra 50 anos

A Montellano nasceu há 50 anos, em Lisboa, pela mão do Sr. Montellano. Bernardo Montellano, atual diretor-geral e neto do fundador, faz um balanço positivo do meio século de vida da empresa, que continua a querer “posicionar-se com parceira de todas as clínicas e laboratórios do país”.

Ler mais 15 Março, 2024
Entrevistas