Entre 15% a 90% da população já teve episódios de bruxismo

Imagem da notícia: Entre 15% a 90% da população já teve episódios de bruxismo

O bruxismo é uma condição muito comum entre a população. Vários estudos indicam que entre 15% a 90% da população já experimentou episódios de bruxismo – o apertar e ranger involuntário dos dentes. Em Portugal, os números apontam para cerca de 100 mil pessoas afetadas. Sendo um hábito inconsciente é, normalmente, diagnosticado tardiamente.

O bruxismo pode ser diurno ou noturno. Quando falamos em bruxismo diurno, este é caracterizado pela atividade semi-voluntária da mandíbula, estando relacionado a hábitos repetitivos, como roer as unhas, o lápis, mascar pastilha elástica ou ranger os dentes. As causas dos episódios de bruxismo diurno não são consensuais, mas consideram-se o stress e a ansiedade os principais fatores de risco. Estes estão também associados ao bruxismo noturno, assim como distúrbios do sono – ressonar, episódios de apneia, falar durante o sono ou alucinações. O tabaco, o consumo de cafeína, o consumo de álcool e a medicação para o sono, depressão e ansiedade podem ter, igualmente, influência.

O bruxismo afeta tanto crianças como adultos. No caso das crianças, estes episódios prendem-se, sobretudo, com a normal esfoliação dos dentes e com o seu posicionamento nos maxilares. Casos mais graves podem estar relacionados com situações de ansiedade. É comum o bruxismo ocorrer associado também à obstrução nasal e queixas respiratórias resultantes de hipertrofia das amígdalas e adenóides.Com o avançar da idade, o bruxismo costuma tornar-se menos regular até desaparecer. No caso dos adultos, o bruxismo deve ser encarado como uma patologia e ser corrigido o mais cedo possível, evitando ao máximo as suas consequências.

“As dores de cabeça são o sintoma mais comum, dada a força que o indivíduo faz durante a noite. Desconforto na articulação temporomandibular, dores nos músculos mastigadores e da face, rigidez da região cervical, limitação dos movimentos de abertura da boca e perturbações do sono são outros sintomas”, lembra João Caramês, fundador e diretor do Instituto de Implantologia, em comunicado de imprensa. E acrescenta: “O ranger consecutivo dos dentes provoca inúmeros problemas, como desgaste do esmalte, que afeta a integridade dos dentes, causando dor e problemas nos maxilares e na articulação temporomandibular”.

9 Março, 2017
Atualidade

Notícias relacionadas

Novembro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de novembro de 2020, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 2 Dezembro, 2020
Atualidade

Grande Prémio Ciência Viva distingue Alexandre Quintanilha

Alexandre Quintanilha foi distinguido com o Grande Prémio Ciência Viva, pela sua ação notável na promoção da cultura científica. Destaque ainda para o Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, galardoado com o Prémio Ciência Viva Educação, e para a campanha de educação “2 Minutos para Mudar de Vida, que recebeu o Prémio Ciência Viva Media.

Ler mais 24 Novembro, 2020
Atualidade

Elixir bucal pode eliminar o coronavírus?

A pesquisa – liderada pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido – afirma que os elixires bucais que contenham 0,07% de cloreto de cetilpiridínio (CPC) estão a mostrar “sinais promissores” na redução do vírus.

Ler mais 20 Novembro, 2020
Atualidade