Livro de Pimenta reúne cerca de 200 pessoas

Imagem da notícia: Livro de Pimenta reúne cerca de 200 pessoas

Família, amigos, colegas e pacientes de João Pimenta reuniram-se no Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos, a 22 de abril, para assistir ao lançamento da sua obra. “João Pimenta, 35 anos de medicina dentária” é um livro “de todos”, que reúne mais de 100 depoimentos. A apresentação ficou a cargo de Fernando Nobre, presidente da AMI, e contou ainda com as intervenções de Couto Viana, o médico dentista autor do prefácio, e de Miguel Costa Gomes, o presidente da Câmara Municipal de Barcelos. André Pimenta, o filho de João Pimenta, moderou as apresentações embelezadas por um momento musical. O protagonista subiu também ao palanque.

“Hoje é um dia muito especial. Ao fim de 35 anos decidi, contra algumas opiniões, escrever um livro. Um livro que fosse meu e de todos os que de alguma forma se cruzaram e participaram na minha vida pessoal e profissional. Um livro feito ao sabor de um rio sem margens, talvez anárquico, talvez louco, mas muito à minha moda. Um livro sem rédeas… um livro de alguém livre… um livro de vaidades? Se quiserem interpretar a palavra como orgulho no que fui fazendo nesta já longa vida dir-vos-ei: é… efetivamente é… E é também um livro de homenagem à minha família”, começou por dizer João Pimenta, perante uma plateia de cerca de 200 pessoas.

Houve ainda tempo para uma reflexão sobre o estado atual da medicina dentária em Portugal. João Pimenta, durante o seu discurso, afirmou que “o primeiro grande problema é que nunca houve um correto planeamento do número de médicos dentistas neste país. Passamos muito rapidamente de uma brutal falta de dentistas para um número excessivo de profissionais, obrigando alguns à emigração, ao emprego precário e até ao desemprego. (…) O segundo grande problema é o da publicidade enganosa e campanhas de atos médicos gratuitos que mais não são que um logro e uma armadilha para incautos. (…) Outro problema importante é a não inclusão dos médicos dentistas no SNS.  (…) Os desígnios constitucionais no que diz respeito ao direito à saúde são ignorados todos os dias…”.

O médico dentista ofereceu o livro a todos os presentes no evento e convidou-os a fazerem um donativo monetário. O resultado espelha-se em 1925 euros, montante destinado ao Centro Social de Vila Cova, em Barcelos. Veja a reportagem completa numa das próximas edições.

26 Abril, 2017
AtualidadeEventos

Notícias relacionadas