“Já sou velho mas estou preocupado!”

Imagem da notícia: “Já sou velho mas estou preocupado!”

O médico dentista Manuel Fontes de Carvalho dirigiu-se a todos os colegas, com uma mensagem na sua página de facebook, a propósito da situação atual que vive a medicina dentária, no contexto do estado de emergência causado pela Covid-19:

“Desde o passado 15 de Março que a Medicina Dentária Portuguesa vive o período mais dramático da sua história de 40 anos. 
Está em causa a sobrevivência de todos nós, impedidos por um vírus de exercer a profissão que nos sustenta e impedindo os nossos pacientes de aceder aos nossos cuidados.
Vivemos o momento atual, tal como todos os Portugueses, com a incerteza e a ansiedade que o desconhecido coloca no horizonte, e que não deixa os mais otimistas indiferentes. 
O momento não é de conflitos e temos obrigação de os adiar ou esquecer pois todos juntos somos poucos. Não vale a pena insistir na críticas ao desempenho de quem tem o dever de nos representar pois estamos a perceber que a sua força e influência não existe, ou é insignificante, embora, durante estes últimos anos, se tenha esforçado para demonstrar o contrário.

Vem isto a propósito do email que acabamos de receber da OMD, com a mensagem do Doutor Orlando Monteiro da Silva.  Desde o referido 15 de Março, senão antes, muitos colegas têm questionado e muitos outros têm pacientemente esperado por um “sinal” da OMD, na esperança de perceber quais as ações que estavam a ser desenvolvidas junto das Autoridades, nomeadamente os orgãos de Governo de quem sempre julgamos haver proximidade com a nossa tutela.
Apesar de, durante estes últimos dias, a OMD, nos ter feito chegar algumas notas (destaco, pela positiva, o documento elaborado pela Sociedade de Advogados) e de nos ter inquirido sobre assuntos candentes, pouco ou nada transpareceu e muito tem sido o desalento de vários colegas que se queixam de não obter resposta às suas cartas, ou mails, cujo desesperado conteúdo deveria ser alvo de atenção cuidada.

O “sinal” da OMD, pela voz do Doutor Orlando, saiu hoje e, salvo melhor opinião, é uma mão cheia de nada. Transpira impotência para nos trazer alguma esperança. Tudo leva a crer que as insistências e as reivindicações que terá feito chegar aos seus “conhecidos” do Governo (e não tenho dúvidas que o fez e faz), estão a cair em “saco roto”, o que é uma desoladora notícia para todos os colegas.

Por isso, e se eu tenho razão, é hora de o Sr Bastonário o dizer claramente e juntar a classe num clamor conjunto para que não fique definitivamente só, nesta luta que é de todos. 
Não tenho dúvidas que os Médicos Dentistas apoiarão, unanimemente, uma ação pública clara de iniciativa da Ordem.

O Bastonário da Ordem dos Médicos é um exemplo disso e tem o apreço unânime dos seus colegas. A OMD tem assessores, e meios, para fazer chegar diariamente ao Poder e à Comunicação Social, o desastre que a classe vive e que tem que ser do conhecimento dos Portugueses e não só dos colegas. 

Sr Bastonário! Faça um esforço para se aproximar dos seus representados. Dê-lhes o alento que precisam e abra as portas da Ordem, fazendo de lá sair o clamor do desespero de quem está na fronteira do esquecimento. E creia que escrevo com o coração e não com despeito pois, para além de sofrer como todos, ainda me sinto responsável moral por uma classe que ajudei a fundar e, também por isso, não encaixo qualquer cognome de ‘velho do restelo’. Já sou velho mas estou preocupado!”.

26 Março, 2020
Opinião

Notícias relacionadas

Em quem tem confiado a gestão da sua clínica?

Artigo da autoria de Sandra Oliveira, gestora com uma experiência sólida em Gestão, licenciada em Economia e mestre em Finanças, especialista em transformação e melhoria de processos, certificada em Coaching e Eneagrama.

Ler mais 30 Dezembro, 2020
Opinião

Até já

Crónica da médica dentista Cátia íris Gonçalves publicada na DentalPro 153/154.

Ler mais 23 Novembro, 2020
Opinião