Sorrir melhora qualidade de vida!

Imagem da notícia: Sorrir melhora qualidade de vida!

O especialista em expressões faciais Armindo Freitas-Magalhães afirmou que os portugueses estão “a sorrir menos por causa da crise” que o país atravessa, mas defendeu que o sorriso “é primordial” para a melhoria da qualidade de vida.

De acordo com a agência Lusa, e a propósito do Dia Mundial do Sorriso, que se assinalou no domingo, o director do Laboratório de Expressão Facial da Emoção, da Universidade Fernando Pessoa, no Porto, salientou que “o sorriso é muito importante, desde o útero até à velhice. Já estudei cientificamente o sorriso ao longo do ciclo vital, desde o nascimento até à morte e, como digo muitas vezes, fomos feitos para sorrir”.

Armindo Freitas-Magalhães adiantou, que numa análise feita no âmbito do projeto científico, e pioneiro, “Uma década de Sorriso em Portugal (2003-2013)”, comprovou que a “crise, a par do sexo e da idade, é uma poderosa variável moderadora do sorriso humano”.

Na entrevista à Lusa, o especialista salientou que o sorriso tem um “impacto colossal” na vida das pessoas, sendo um poderoso fenómeno nos tratamentos clínicos de doenças como, por exemplo, a depressão.

 

29 Abril, 2013
Atualidade


Notice: Undefined variable: cats in /home/dentalpro/public_html/wp-content/themes/revista-codigopro-2017-v5/single.php on line 71

Notícias relacionadas

Europeus têm dúvidas sobre cirurgia assistida por robô

Uma equipa de investigadores da Universitat Oberta de Catalunya (UOC) analisou os fatores que influenciam a perceção das pessoas sobre o uso da robótica na cirurgia. A experiência anterior com o uso de robôs e a perceção da facilidade de utilização são os fatores que fomentam a confiança nestas técnicas e dispositivos.

Ler mais 16 Maio, 2022
AtualidadeMedicina dentária

Futuro da Ortodontia

Artigo de opinião de Pedro Costa Monteiro, médico dentista e mestre em ortodontia e ortopedia facial sobre o dia Mundial da ortodontia, que se celebra hoje, dia 15 de maio.

Ler mais 15 Maio, 2022
AtualidadeMedicina dentáriaOpinião