“Em prol da saúde oral”

Imagem da notícia: “Em prol da saúde oral”

DentalPro: Quais os objectivos que norteiam o seu mandato?

Jaime Portugal: Em primeiro lugar, apostamos na formação. Para tal, iremos alargar a oferta de acções de formação contínua, quer geograficamente, quer relativamente ao público-alvo. O nosso congresso anual, que este ano será organizado pela Secção Regional Norte, constitui outra das prioridades. Actualmente, temos já assegurada a presença de diversos conferencistas nacionais e estrangeiros de reconhecido mérito. Também a Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial, talvez a maior mais-valia desta sociedade, assume-se como um forte veículo de formação. Considerando que esta é a publicação científica de referência na área da saúde oral em Portugal, encontramo-nos fortemente empenhados na sua promoção e consolidação, que passará seguramente pelo processo de indexação em curso. Por outro lado, pretendemos apoiar e promover o esforço que cada vez mais colegas realizam no âmbito da investigação científica. Finalmente, prosseguimos com a nossa componente lúdica e cultural, já que esse se assume também como o nosso papel.

DP: Sendo a mais antiga sociedade da área em Portugal, sente necessidade de aproximar os recém-licenciados da SPEMD?

JP: Queremos, em definitivo, que esta sociedade se mantenha jovem, cheia de vitalidade e dinamismo.

DP: E o que pode ser feito nesse âmbito?

JP: Para tal, revela-se imperioso cativar os recém-licenciados, os alunos dos últimos anos do mestrado integrado em medicina dentária e os internos de estomatologia. Seguramente que irá ser feito um enorme esforço neste sentido.

DP: O que se pode esperar do XXX Congresso da SPEMD?

JP: A minha ambição é que se encarem os congressos da SPEMD não apenas como um local onde os colegas conhecem os avanços mais recentes nas diversas áreas da estomatologia e medicina dentária, mas, acima de tudo, como um local onde apresentam e debatem as suas ideias. Assim, a par das habituais conferências, privilegiaremos as sessões de discussão entre os investigadores, quer através de apresentações orais, quer de posters. Nos últimos anos, assiste-se a um aumento do volume, mas sobretudo da qualidade, da investigação científica realizada em Portugal e a SPEMD apoiará sempre este esforço.

Jaime Pereira Fontes de Almeida Portugal nasce a 1 de Setembro de 1969 em Lisboa. Em 1987 ingressa na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto e, seis anos volvidos, inicia a sua carreira profissional como médico dentista, assim como na docente na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa (FMDUL). Após desempenhar funções como médico dentista na Força Aérea Portuguesa, liga-se à delegação sul da SPEMD e ao conselho redactorial da Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial. A sua carreira traça um percurso ascendente e hoje distingue-se como membro do Conselho Científico da FMDUL, regente das disciplinas de Biomateriais I e II, assim como investigador da Unidade de Investigação em Ciências Orais e Biomédicas. Desde 2009 é também a vice-presidente da FMDUL e, com a tomada de posse a 7 de Março deste ano, assume a presidência da SPEMD e a direcção da Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial.

 

Leia esta entrevista, na íntegra, na próxima DentalPro nº25

28 Abril, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas

Novembro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de novembro de 2020, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 2 Dezembro, 2020
Atualidade

Grande Prémio Ciência Viva distingue Alexandre Quintanilha

Alexandre Quintanilha foi distinguido com o Grande Prémio Ciência Viva, pela sua ação notável na promoção da cultura científica. Destaque ainda para o Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, galardoado com o Prémio Ciência Viva Educação, e para a campanha de educação “2 Minutos para Mudar de Vida, que recebeu o Prémio Ciência Viva Media.

Ler mais 24 Novembro, 2020
Atualidade

Elixir bucal pode eliminar o coronavírus?

A pesquisa – liderada pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido – afirma que os elixires bucais que contenham 0,07% de cloreto de cetilpiridínio (CPC) estão a mostrar “sinais promissores” na redução do vírus.

Ler mais 20 Novembro, 2020
Atualidade