Novo tratamento poderá reduzir tempo e custos em implantologia

Imagem da notícia: Novo tratamento poderá reduzir tempo e custos em implantologia

Novo material poderá reduzir em 50 por cento o tempo de recuperação de implantes dentários em pessoas que sofrem de perda óssea, assim como diminuir os custos associados ao procedimento.

A novidade advém da pesquisa em curso no Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (ICB/UFMG).

Através da utilização de nanotubos de carbono e ácido hialurónico, os investigadores desenvolveram um novo material, que poderá reduzir de três para um mês e meio o período de cicatrização.

A inovação trazida por esta equipa do ICB passa por revestir o titânio dos implantes com nanotubos de carbono associados ao ácido hialurónico. Além de diminuir o tempo de cicatrização, os nanotubos de carbono também deverão reduzir os custos finais.

Agora os cientistas brasileiros centram o seu trabalho na multiplicação do uso dos nanotubos de carbono “funcionalizados” com ácido hialurónico para ossos maiores e defeitos mais complexos. “Quando a pessoa extrai um dente é formada uma cavidade óssea, mas esse é um defeito pequeno. Queremos explorar defeitos maiores.

Em breve, serão feitos estudos usando a tecnologia para realizar enxertos ósseos na tíbia, o segundo maior osso humano”, antevê Anderson José Ferreira, do departamento de Morfologia do ICB.

3 Setembro, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas

Novembro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de novembro de 2020, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 2 Dezembro, 2020
Atualidade

Grande Prémio Ciência Viva distingue Alexandre Quintanilha

Alexandre Quintanilha foi distinguido com o Grande Prémio Ciência Viva, pela sua ação notável na promoção da cultura científica. Destaque ainda para o Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, galardoado com o Prémio Ciência Viva Educação, e para a campanha de educação “2 Minutos para Mudar de Vida, que recebeu o Prémio Ciência Viva Media.

Ler mais 24 Novembro, 2020
Atualidade

Elixir bucal pode eliminar o coronavírus?

A pesquisa – liderada pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido – afirma que os elixires bucais que contenham 0,07% de cloreto de cetilpiridínio (CPC) estão a mostrar “sinais promissores” na redução do vírus.

Ler mais 20 Novembro, 2020
Atualidade