Novo tratamento poderá reduzir tempo e custos em implantologia

Imagem da notícia: Novo tratamento poderá reduzir tempo e custos em implantologia

Novo material poderá reduzir em 50 por cento o tempo de recuperação de implantes dentários em pessoas que sofrem de perda óssea, assim como diminuir os custos associados ao procedimento.

A novidade advém da pesquisa em curso no Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (ICB/UFMG).

Através da utilização de nanotubos de carbono e ácido hialurónico, os investigadores desenvolveram um novo material, que poderá reduzir de três para um mês e meio o período de cicatrização.

A inovação trazida por esta equipa do ICB passa por revestir o titânio dos implantes com nanotubos de carbono associados ao ácido hialurónico. Além de diminuir o tempo de cicatrização, os nanotubos de carbono também deverão reduzir os custos finais.

Agora os cientistas brasileiros centram o seu trabalho na multiplicação do uso dos nanotubos de carbono “funcionalizados” com ácido hialurónico para ossos maiores e defeitos mais complexos. “Quando a pessoa extrai um dente é formada uma cavidade óssea, mas esse é um defeito pequeno. Queremos explorar defeitos maiores.

Em breve, serão feitos estudos usando a tecnologia para realizar enxertos ósseos na tíbia, o segundo maior osso humano”, antevê Anderson José Ferreira, do departamento de Morfologia do ICB.

3 Setembro, 2010
Atualidade

Notícias relacionadas

Medicina dentária: pandemia indica que setor tem de se adaptar

A medicina dentária precisa de preparar para futuras crises, conclui um estudo feito pela Al-Quds University em Jerusalém, juntamente com o Ministério da Saúde Palestiniano em Ramala e a Universidade de Iowa (Iowa, Estados Unidos da América).

Ler mais 21 Abril, 2021
AtualidadeMedicina dentária