“Excesso de médicos dentistas está a criar um flagelo”

Imagem da notícia: “Excesso de médicos dentistas está a criar um flagelo”

Portugal atingiu, no ano passado, um rácio de um médico dentista por 1.033 habitantes, praticamente o dobro da recomendação da OMS – Organização Mundial de Saúde de um médico dentista por 2.000 habitantes.

Analisando o crescimento previsto do número de médicos dentistas ativos em Portugal e a diminuição do número de habitantes em território português, é esperado que, a partir do próximo ano, exista um médico dentista para menos de 1.000 habitantes. Estima-se que em 2021, a OMD venha a ter aproximadamente 12 mil membros.

Para o bastonário, “o excesso de médicos dentistas está a criar um flagelo na profissão. Portugal não tem como absorver tantos profissionais pelo que a emigração tem crescido para valores impensáveis. Os ‘Números da Ordem’ mostram apenas uma parte do problema, já que muitos médicos dentistas emigram, mas continuam inscritos na OMD, alguns inclusive trabalham em vários países.

Há anos que alertamos os sucessivos governos para a necessidade imperativa de diminuir o número de vagas em medicina dentária nas faculdades, mas nem privados nem o Estado querem reduzir as receitas, pelo que na prática e para os alunos, concluído o mestrado, resta um caminho, o da emigração”.

O Reino Unido continua a ser o principal destino de emigração para os médicos dentistas portugueses, seguido da França.

6 Agosto, 2018
Atualidade

Notícias relacionadas