“Fortalecer o papel do dentista”

DentalPro: Já manifestou o seu regozijo com a nomeação de Orlando Monteiro da Silva para liderar os destinos da Federação Dentária Internacional (FDI). O que vai mudar na presidência?

Roberto Vianna: Nada melhor que o Orlando para me suceder, pelos objectivos comuns e pela certeza que não altera o meu legado, mas sim melhora-o. Orlando traz consigo a juventude e uma visão mais europeia da área odontológica.

DP: Considerando o vosso poder de pressão, que mudanças quer imprimir na área?

RV: O nosso intuito passa por fortalecer o papel do dentista, não só como promotor da saúde oral, mas também do bem-estar geral. Hoje em dia, a medicina dentária deve prescrever um carácter preventivo e ao médico dentista importa actuar como fomentador dessa consciência.

DP: Compete ao dentista “educar” os seus pacientes?

RV: Claro. Os próprios pacientes encaram o seu dentista como um educador, um amigo e como um profissional que existe para aliviar a sua dor. No tratamento entre médico e paciente há, cada vez mais, cumplicidade, até devido ao aumento do número de mulheres na profissão.

DP: O que o move na medicina dentária?

RV: Já vou para os 45 anos de formado e, pelas regras da sociedade, até já poderia estar em casa de pijama. Mas esse não seria eu. Sempre dei o meu melhor, primeiro para ser necessário, depois para obter sorrisos de satisfação. Optei pela odontopediatria porque não há sorriso mais franco que o das crianças. Hoje move-me a FDI, a minha carreira docente, o meu trabalho na área de consultoria e, claro, os meus pacientes.

Roberto Vianna nasce a 14 de Setembro de 1942 no Rio de Janeiro, Brasil. Forma-se em Odontologia em 1965 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e, mais tarde, segue para os EUA, onde perfaz o mestrado em Odontopediatria, na Universidade de Indiana. De regresso ao país natal, inicia a sua carreira docente na UFRJ, em odontopediatria. É nesta instituição que realiza o seu doutoramento, enquanto o pós-doutoramento concretiza-se na Universidade de Michigan, nos EUA. Para além da prática privada na área, Roberto Vianna assume a coordenação da OMS no Rio de Janeiro. Entra para a FDI em 1978, até que em 2007, no Dubai, torna-se presidente-eleito da FDI, cargo que abandona em 2011, para dar lugar a Orlando Monteiro da Silva.

 

Leia esta entrevista, na íntegra, na próxima edição da revista DentalPro.

18 Maio, 2010
Entrevistas

Notícias relacionadas

Nasceu o laboratório Pedro Estadão Dental Studio

Pedro Chora Estadão abraçou, no início do ano, a responsabilidade técnica dos laboratórios Labimplant e Marum-Tecnidente do grupo Instituto de Implantologia. No entanto, a situação gerada pela pandemia de Covid-19 alterou os seus planos, terminando assim a sua ligação a João Caramês e encetando um novo desafio profissional: a criação do seu próprio laboratório, o Pedro Estadão Dental Studio.

Ler mais 2 Setembro, 2020
EntrevistasPrótese dentária